Alves Ribeiro ganha empreitada da nova torre residencial de luxo nas Amoreiras

As obras da nova torre residencial que vai nascer nas Amoreiras ao lado do Hotel Dom Pedro, em Lisboa ,já arrancaram e os trabalhos, que devem terminar dentro de 18 meses, estão a cargo da Alves Ribeiro. A Vanguard Properties, promotora deste projecto imobiliário de alta gama no centro da capital, contratou a construtora para a empreitada de reconversão do antigo edifício de escritórios em 34 apartamentos, de tipologias T1 a T5. Em causa está um investimento de 30 milhões de euros.

A A’Tower, situada na Avenida Conselheiro Fernando Sousa 11, vai dar vida a um antigo edifício de escritórios que a Vanguard Properties comprou, em 2016, a um fundo gerido pelo Banif e que chegou a “estar nas mãos” do grupo Amorim.

No final das obras a cargo da Alves Ribeiro, tal como avança o Expresso na última edição em papel, o empreendimento vai contar com 15 pisos acima do solo, além de três pisos subterrâneos para estacionamentos. A cobertura do prédio, equivalente ao 16º piso, terá uma piscina exterior para utilização comum dos residentes, que neste condomínio também contam com uma piscina interior, spa, ginásio, portaria e serviço de concierge.

Penthouse custa 4 milhões e já tem interessados

Os preços começam nos 620.000 euros e o imóvel mais caro custa quatro milhões. A comercialização das novas casas na torre das Amoreiras iniciou-se antes da construção começar, contando-se até ao momento três apartamentos vendidos, além de outros três em fase de negociação, segundo disse fonte da Vanguard Properties ao semanário.

O projeto A’Tower é assinado pela Saraiva + Associados, com traça de arquitectura contemporânea, com o objectivo de aproveitar as características do edifício originalmente concebido para escritórios, mas com potencial para habitação topo de gama – como é o caso das suas varandas com vista para o Parque de Monsanto e o centro da cidade.

Em termos arquitectónicos, outra marca relevante da nova torre nas Amoreiras será a intervenção artística numa das empenas exteriores do edifício, e que ocupará toda a superfície na vertical, com cerca de 500 metros quadrados.

FONTE:IDEALISTA